John Ford: “O” realizador

5 01 2009

 

De quando em vez, para desenjoar de programações ocas e fúetis, somos brindados com verdadeiras pérolas, com verdadeiros clássicos do Cinema e da TV a que o tempo só veio dar mais brilho.

 

Este sábado a TV2 apresentou um serão de luxo. Começou com “The searchers“, um fantástico filme que o insuspeito Steven Spielberg disse estar entre os 10 melhores filmes de sempre.

 

O serão continuou com um documentário sobre John Ford, o realizador desse filme e um dos mais prolificos realizadores de sempre.

 

Ford é hoje mais conhecido como o realizador dos westerns, mas foi mais, muito mais do que isso.

 

Ford é o realizador do crescimento dos EUA como uma nação, mas também foi um dos melhores realizadores que conseguiu captar a crueza da natureza humana, com todos os seus defeitos e imperfeições.

 

As suas personagens muito humanas, cheias de defeitos, que odeiam, que traem, são já marcos da história do cinema. Mas John Ford era também o realizador da redenção, daquele último gesto de altruismo e de humanidade que redimiam as personagens de todos os seus pecados. O seu passado irlandês e fortemente católico marcaram a sua cosmovisão e influenciaram sobremaneira a sua obra.

 

John Ford trabalhou com actores tão importantes como James Stewart, Henry Fonda, Spencer Tracy entre outros mas seria injusto relevar a importância que John Wayne teve na sua obra. Como qualquer bom realizador tinha um actor fetiche e Ford encontrou em John Wayne o veículo priveligiado para as suas personagens mais marcantes.

 

Ford sempre teve uma relação muito grande com as histórias humanas que simbolizavam as diferentes fases da jovem nação americana. Ele percebeu como ninguém que uma nação nova e voluntariosa precisava de mitos e hoje ninguém ousa dizer que Ford não foi o grande contador de histórias da América.

 

O resto do mundo agradece.

(texto também disponivel em http://camaradecomuns.blogs.sapo.pt/)
Anúncios